Revestimento Decorativo

BELEZA E DURABILIDADE

Equipamentos versáteis e flexíveis capazes de aliar múltiplas tecnologia

Os revestimentos PVD decorativos são aplicados principalmente em metais e plásticos. Eles estão disponíveis numa grande gama de cores que oferecem resistência a riscos, dureza elevada e durabilidade a área superficial, com espessura média que varia entre 0,2 µm e 2 µm.

ABACO®️ – A Protec possui o ABACO®️ (AntiBActerial COating), o primeiro e mais avançado revestimento nanométrico PVD Bactericida e Virucida do mercado, que pode ser usado tanto para fins decorativos, quanto funcionais.

O ABACO®️ pode ser aplicado como decoração em maçanetas, metais sanitários, talheres, utensílios domésticos e todo metal quanto desejado. Esses filmes finos de PVD destroem as bactérias e têm ação contínua ao longo de toda a vida útil do objeto. A tecnologia tem ainda aplicação a inúmeros objetos e superfícies.

O acabamento é hipoalergênico e não deixa a estética de lado: tem dureza, alta estabilidade de cor e resistência a arranhões. Pode ser aplicado a metais ferrosos e não ferrosos.

Em 2021 foi validado, após testes realizados pelo Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que além de ser bactericida, o recobrimento também é eficaz contra o Coronavírus. A tecnologia foi testada para ser virucida contra Coronavírus cepa MHV, gênero Betacoronavírus (mesmo gênero e família que SARS-CoV-1, SARS-CoV-2 / COVID19 e MERS).

Os testes seguiram a norma internacional ISO-BS ISO 21702: 2019 (primeira edição 2019-05-27).

O ABACO®️ pode ser aplicado como decoração em maçanetas, metais sanitários, talheres, utensílios domésticos e todo metal quanto desejado. Esses filmes finos de PVD destroem as bactérias e têm ação contínua ao longo de toda a vida útil do objeto. A tecnologia tem ainda aplicação a inúmeros objetos e superfícies.

O acabamento é hipoalergênico e não deixa a estética de lado: tem dureza, alta estabilidade de cor e resistência a arranhões. Pode ser aplicado a metais ferrosos e não ferrosos.

Em 2021 foi validado, após testes realizados pelo Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que além de ser bactericida, o recobrimento também é eficaz contra o Coronavírus. A tecnologia foi testada para ser virucida contra Coronavírus cepa MHV, gênero Betacoronavírus (mesmo gênero e família que SARS-CoV-1, SARS-CoV-2 / COVID19 e MERS).

Os testes seguiram a norma internacional ISO-BS ISO 21702: 2019 (primeira edição 2019-05-27).